Onde está o seu Walden?

sexta-feira, abril 15, 2016 0 Comments


“Fui para a mata porque queria viver deliberadamente, enfrentar apenas os fatos essenciais da vida e ver se não poderia aprender o que ela tinha a ensinar, em vez de, vindo a morrer, descobrir que não tinha vivido”.

     Em julho de 1845, descontente com a violenta expansão industrial da sociedade americana, Henry David Thoreau deixou sua cidade natal Concord, Massachusetts, para instalar-se à beira do lago Walden. Thoreau permaneceu em seu pequeno refugio natural durante dois anos, dois meses e dois dias, apartado da sociedade dos homens, suprindo suas próprias necessidades, vivendo da terra, estudando, contemplando a natureza e conhecendo-se a si mesmo.

Estátua de Thoreau, aos fundos réplica de sua cabana as margens do lago Walden.
Nos dias de hoje, vivendo essa "Geração Fast-food", descompromissada e escrava do consumismo, fico na dúvida se ainda é possível contemplar a existência e as belezas que o nosso lindo planeta tem a nos oferecer. Thoreau precisou ir para os Bosques, sob proteção dos braços imponentes das águas do Lago Walden, para se ver livre da grotesca competição industrial, que continua movimentando e alimentando nossa ambição em produzir mais e mais coisas inúteis que nos proporcionem alguns momentos de falsa felicidade consumista.

“A própria simplicidade e despojamento da vida do homem nos tempos primitivos traz pelo menos essa vantagem, que ainda lhe permitia ser apenas um hóspede da natureza”. 

Analisando as memoráveis palavras de Thoreau na citação acima, podemos nos propor à reflexão de que o homem pós-moderno trocou seu papel de hóspede, para agente transformador. Com o desenvolvimento assustador da ciência e tecnologia, o homem largou sua independência, para se tornar instrumento de seus próprios instrumentos. O homem livre que vivia da coleta de frutas e verduras para saciar sua fome virou agricultor; aquele que se abrigava em cavernas agora tem uma casa para cuidar. Nossa realidade se resume em pagar juros de cartão de crédito, trabalhar muito para receber pouco, e com esse pouco pagar nossos próprios grilhões acoplados em objetos desnecessários.

Será que existe uma salvação para esse novo homem perdido em seus devaneios desejosos? Um lugar onde possamos nos libertar das amarras, dos pacotes, caixas e latas que aprisionam nosso espírito livre. Walden pode estar em todos os lugares, no seu quintal, na escola ou até mesmo no abraço apertado de alguém que amamos. Não deixe a correria do dia a dia afunilar o ritmo de suas caminhadas. Escute seu coração, e a voz que emana de sua consciência, tire algumas horas da rotina diária para contemplar e observar os pequenos detalhes a sua volta; aprenda a derrubar os muros que restringem os saltos do seu amor, valorize quem se importa com a sua existência. Só você tem o acesso ao mapa que te levará ao seu Walden, não abandone suas raízes e sua simplicidade. Viva profundamente, sugando todo o tutano da vida, de forma tão espartana que elimine tudo que não for vida.

Fontes


THOREAU, Henry David. Walden. Porto Alegre, L&PM Pocket, 2010. 335 p.

Escrito por: Jorge Eduardo Salvador.

Grupo de jovens nerds (estudantes de psicologia e teologia) apaixonados por cinema café e literatura. No blog você ira encontrar muitos artigos sobre temas variados, poemas, dicas de filmes, livros e muita filosofia. Esperamos que o conteudo do blog lhe ajude.

0 comentários:

- Não Coloque links, esse não é um site de downloads.
- Xingamentos e ofensas não serão tolerados.
- Respeito ao Próximo em primeiro lugar.